História e Bíblia

UMA PONTE PARA O CONHECIMENTO

Translate

Follow by Email

Total de visualizações de página

SEJA UM SEGUIDOR


Olá, seja bem vindo ao blog HISTÓRIA E BÍBLIA! Gostária de convidá-lo a
ser um seguidor. Basta clicar em seguir ao lado e seguir as orientações.
domingo, 11 de abril de 2010

O Caminho de Jesus



O Caminho de Jesus


Atos 10. 38

“Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele”.


O texto acima se refere ao Jesus humano.

Jesus, Deus encarnado.

Jesus dependente de Deus!


Note bem, o verso denomina Jesus de NAZARENO (de Nazaré) apontando uma região geograficamente localizável. Apontando uma origem.

Deus não tem origem, pois ele é Eterno! Deus não pode estar preso geograficamente a um lugar especifico, pois ele é Onipresente!

O texto trata de um homem que precisou da unção de Deus – o Espírito Santo.

Deus não precisa de unção, pois ele é o doador da unção, ele é a unção.

Quando Deus veio habitar entre os homens, ele se despojou da sua divindade, e assumiu plenamente a forma humana – sem deixar de ser divino.


Filipenses 2. 6 – 8.

“que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se {ou despojou-se} a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz.”


Jesus, homem, sendo Deus, mas não fazendo uso de sua divindade, mas estando plenamente humano, andou entre nós fazendo uma coisa – O BEM!


Estava em comunhão com o Espírito de Deus, da mesma forma que nós podemos estar, ou seja, usando o mesmo canal que é possível a qualquer homem.


Através desse canal ele teve a força necessária. A arma mais poderosa do universo.


E como homem, fez o bem, desafiando o império do mal, curando os oprimidos do diabo, pois Deus era com ele.


Note, que expressão forte da humanização de Jesus, ou ainda, do seu não uso dos atributos divino. “Deus era com ele”! Ele precisou ter Deus consigo, apesar de em seu ser ele ser Deus!


João 14.10

“Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras”


O maior bem que Deus fez para a humanidade não foi em sua forma divina, mas na forma humana, pois como homem ele tornou-se acessível, e destruiu as obras do diabo – o pecado, a dor, a destruição, a morte!


I João 3.8

“...o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo”


Se manifestou, ou seja, se humanizou.


O caminho de Jesus – Humanizado – foi a prática do bem.

Foi um caminhar libertador.

Foi um caminhar que destruía as obras da maldade.

Por onde ele andava as pessoas se sentiam próximas de Deus, apesar não verem Deus, mas um humilde nazareno.

Deus caminhou entre nós... mas como nós, sendo um de nós,...

próximo de nós, ele nos tornou próximos dEle.


A IGREJA, não tem que se divinizar, subir até o céu, se tornar poderosa na Terra, fazer coisas que só Deus pode fazer...

Não

A igreja só precisa caminhar como Deus caminhou entre os homens: sendo homem, sentindo a dor humana, mas levando a libertação para o oprimido.

A igreja, só precisa caminhar após seu Mestre.

Dependendo do Espírito de Deus, mas sendo humana, pois “nós plantamos e semeamos, mas Deus dá o crescimento” I Co 3. 7

Para vencer o diabo e suas obras não é preciso ser divino, mas ser humano com a presença de Deus.

A igreja precisa ser tão humana que as pessoas se sentirão a vontade nela; se sentirão acolhidas, queridas e abrigadas.

Se a igreja querer ser divina, não poderá abrigar as pessoas, pois ficará inatingível.

Mas se a igreja for como Jesus, revelará o verdadeiro ser humano que Deus projetou na sua criação – o homem à sua imagem e semelhança.


Ainda hoje Deus se humaniza e se aproxima das pessoas, através de pessoas que seguem os passos de Jesus.


"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se {ou despojou-se} a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz." (Filipenses 2. 5 - 8)


(Alexandre Leite Marques Brandão)


0 comentários: